Contrução

1 - Estruturas de Aço
2 - Isolamento acústico e térmico
3 - Projeto arquitetônico livre
4 - Tempo menor de execução
5 - Maior conservação
6 - Fácil instalação, eletricidade, saneamento
7 - Baixo valor de manutenção
8 - Redução de gasto energia com ar-condicion
9 - Tecnologia aplicada em cada detalhe
10 - Segue normas mundiais de construção



Mão de Obra

As construções TERMO STEEL foram desenvolvidas pensando nos detalhes construtivos de todas as áreas.

Nesta seção, descrevemos a forma de construir desde as fundações até aos acabamentos interiores. TERMO STEEL pensou em todas aquelas características que os construtores e proprietários procuram.


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

A ESTRUCTURA
Conforme os casos, o Gabinete Técnico da rede de franchising apresentará a alternativa estrutural que julgue mais conveniente para o tipo de edifício a construir. Normalmente, ao construir edifícios residenciais, o processo empregue é o seguinte:

Sobre os alicerces de betão é aplicado uma tela isolante, composta de alumínio e fibras impermeáveis à água e aos vapores, sobre esta tela são então montados painéis estruturais em perfis de aço galvanizado e ancorados ao betão através de buchas metálicas e porcas roscadas.

Depois de as diversas paredes estarem unidas entre si, o esqueleto do edifício assemelha-se a uma enorme caixa de aço aparafusada com ou sem revestimento já acoplado.

As aberturas das portas e janelas são orladas por canal metálico de forma a receberem posteriormente as aduelas. K metálicos são aplicados em alguns painéis garantindo a sua resistência angular.

A estrutura já se encontra totalmente coberta com placas de OSB ou MAG-FIBER pelo lado exterior ou com outros materiais alternativos de revestimento estrutural. Usando a estrutura de treliças do teto, a canalização e a tubagem eléctrica é disposta desde o teto às paredes deixando os terminais nos locais previamente escolhidos.
Seguidamente, é aplicado o isolamento em todas as paredes. A lã de rocha é colocada em todos os espaços existentes entre perfis e vigas e, logo depois, são aplicadas as placas de gesso cartonado pelo lado interior do edifício.

OS PISOS INTERMÉDIOS
Sobre os painéis de parede exteriores, são colocadas treliças metálicas a espaços regulares de 60 cm. Em casas de dimensões normais, estas vigas treliçadas serão apoiadas apenas nas paredes exteriores deixando livre o interior da habitação para a colocação das paredes divisórias. Em outro tipo de habitações, com vãos de grandes dimensões, talvez seja necessário a utilização de paredes estruturais no interior do edifício, paredes estas feitas de perfis metálicos de espessura superior aos usados para paredes interiores não resistentes.

Após a colocação destas vigas treliçadas e aproveitando as aberturas nelas, será colocado todo o tipo de tubagens necessárias para a instalação hidro-sanitária bem como as respectivas caixas de drenagem. Posteriormente, todo o piso superior é coberto por placas OSB ficando pronto para a colocação de qualquer tipo de revestimento de soalho escolhido. Por baixo deste piso e das tubagens é então colocada a lã de rocha isolando totalmente o piso superior do piso inferior.

Também podemos utilizar o OSB-LEV que se trata de um revestimento de 40mm de betão leve sobre a placa de OSB com um reforço de malha, dando assim uma resistência estrutural e acústica muito superior á outra modalidade.

Também podem ser aplicados painéis com chapa de aço colaborante com cimento leve fabricado pela SOMUNDY para assim dar uma maior acústica ao edifício a construir.

NOTA: este método é utilizado normalmente em edifícios de vários pisos com prédios, hotéis e todo tipo de edifícios de múltiplos usos.


AS PAREDES EXTERIORES
Sobre as placas que revestem a estrutura metálica são aplicadas as placas de poliestireno extrudido que protegem integralmente o edifício eliminando as pontes térmicas. Seguidamente é espalhada a argamassa polimérica reforçada com a armadura em fibra o que garantirá a integridade das fachadas. Por último, a casa é pintada com tinta impermeável ou com uma membrana flexível. Este sistema de isolamento e acabamento de fachadas é completamente eficaz em proteger o edifício contra infiltrações e fissuras.

NOTA: Este revestimento já pode vir com os painéis de parede estruturais para assim poder tornar a obra mais rápida na sua conclusão, tornando-a assim mais económica para o construtor franquiado.
Dependendo da escolha do arquitecto ou do proprietário, poderão ser aplicados outros tipos de revestimento tal como azulejos cerâmicos, tijolos decorativos, madeira, pedra, PVC, etc., tanto na totalidade das paredes como em parte delas.

A VARANDAS
Devido á utilização de vigas treliçadas metálicas é possível a construção de varandas com dimensões superiores ao que pode ser feito em betão. Assim, as potencialidades arquitectónicas são imensas e só limitadas pela imaginação de quem projecta. Após ser completamente isolado, o chão será posteriormente revestido com mosaicos ou ladrilhos cerâmicos conforme é usual nestes espaços.

A DECORAÇÃO DO ESPAÇO EXTERIOR
Poderão ser acordados diversos tipos de intervenções no espaço envolvente do edifício, tal como em escadas exteriores, acessos, jardins, pátios, alpendres, barbecues, piscinas, etc. O mesmo se pode dizer no que se refere a muros, sebes, grades e portões exteriores.

O SÓTÃO
O espaço entre o último andar e a cobertura do edifício poderá ser aproveitado como área utilizável. Neste caso, aas asnas de cobertura serão preparadas para a utilização da área central do sótão. Caso se pretenda executar um tecto nivelado, é montada uma estrutura metálica que permita suspender as placas de gesso horizontalmente. Em áreas aproveitáveis deste género poderão ser utilizadas janelas de sótão ou outro tipo de abertura para iluminação. Também estas janelas serão equipadas com vidro duplo como isolamento térmico e acústico.

No caso de não se aproveitar esta área do sótão, serão montadas asnas metálicas onde a colocação de perfis em diagonal conferirá o suporte necessário ao telhado. Estas asnas serão montadas em intervalos regulares e unidas por peças metálicas. O isolamento em lã de rocha é então colocado na placa de teto do último piso.

O TELHADO
Após a construção do sótão, conforme atrás descrito, segue-se a cobertura do vigamento. Todas as superfícies do telhado são cobertas com placas OSB fixas através de parafusos. Seguidamente, são aplicadas telas impermeáveis e isolantes servindo de sub-telha. Estas telas isolam o telhado impedindo a penetração de humidade mesmo que as telhas estejam danificadas. A sua estabilidade e durabilidade é extraordinariamente elevada o que elimina o problema da manutenção em locais de tão difícil acesso. Sobre as telas de protecção é então aplicada o ripado de telhado que servirá de suporte às telhas cerâmicas. Usualmente, são empregues perfis em PVC ao invés de ripas de madeira o que garante enorme durabilidade do telhado.

A cumeeira e os beirados serão terminados como convencionalmente se faz em qualquer tipo de telhado. Em alternativa à tradicional telha lusa, poderá ser aplicado qualquer outro tipo de revestimento, tal como telhas metálicas ou asfálticas.

A GARAGEM
A garagem poderá ocupar o mesmo espaço da cave ou então ser agregada lateralmente ao edifício ou mesmo separada dele. Os métodos de construção e acabamentos serão semelhantes aos já descritos e, naturalmente, dependerão da preferência do proprietário.

AS PAREDES INTERIORES
Todas as paredes interiores são erguidas utilizando painéis de perfis metálicos colocados sobre um canal de base e recebendo outro no topo. Algumas paredes, tais como as que recebem o apoio de vigas ou aquelas que recebem cargas maiores nos pisos superiores, são sustentadas por perfis de maior espessura e com K como travamento estrutural. São também preparados os aros das portas interiores utilizando canais como ombreiras. Todos estes componentes metálicos são fixos com parafusos galvanizados o que garantem a elasticidade da estrutura em caso de sismo. Após a colocação da canalização e da distribuição de corrente eléctrica e rede de telecomunicações, todas as paredes recebem placas de gesso cartonado cobrindo totalmente as estruturas.
Nas juntas entre as placas é aplicada a pasta de juntas por meio de espátulas estreitas e seguidamente é colocada a cinta de juntas sobre ela. Após secagem, é dada uma primeira mão de pasta de juntas mais larga e, posteriormente, uma segunda ainda mais larga. Nas intersecções de paredes e esquinas é aplicada a cinta guarda-vivos que, devido às duas lâminas de chapa galvanizada, garante a protecção das arestas. A aplicação desta cinta é realizada de forma semelhante à descrita anteriormente para as juntas. Uma vez perfeitamente seco o tratamento de juntas e de esquinas, a parede fica pronta para decorar admitindo qualquer tipo de acabamento.

 Nos casos em que as paredes irão ser submetidas frequentemente à acção do vapor e da água, tal como acontece nas paredes perto de banheiras, lavatórios e cubas de lavagem, aplicar-se-ão placas de gesso apropriadas a tais locais e que resistem especialmente à humidade.

A CANALIZAÇÃO SANITÁRIA
No caso dos pisos superiores, os tubos, tanto para água fria como quente, sobem desde a placa do chão até aos pontos onde irão ser instalados os terminais de utilização, na cozinha e quartos de banho. Os tubos para esgoto são também colocados dentro da placa, aproveitando os quase trinta centímetros de espaço “treliças” disponível entre andares, o que permite desníveis de escoamento satisfatórios, descendo pelo interior das paredes no piso inferior, sendo posteriormente conectados à rede pública ou a uma fossa séptica. No caso de canalização instalada nos pisos térreos, utilizam-se as paredes e o solo como normalmente se executam em obras convencionais. Naturalmente, existe a enorme vantagem de não ter que abrir roços no tijolo visto que se utilizam os orifícios existentes nos perfis metálicos e as paredes ainda não se encontrarem revestidas.

INSTALAÇÕES
A distribuição dos condutores de energia eléctrica e de telecomunicações é feita com enorme facilidade pelas mesmas razões apontadas no tópico anterior. Antes de se revestirem as estruturas com as placas de gesso cartonada, são fixas peças metálicas nos locais onde posteriormente são posicionados os acessórios eléctricos ou outros. As placas de gesso são então colocadas com os orifícios correspondentes. Utilizam-se o mesmo tipo de tubos e condutores normalmente usados na construção convencional.

OS TECTOS
Após ter sido colocada a lã de rocha como isolamento entre pisos são então aparafusadas as mestras metálicas onde serão fixadas as placas de gesso. Os acabamentos entre juntas serão feitos da forma já descrita. Nas intersecções entre as paredes e os tectos poderão ser colocados diversos tipos de sancas e centros de tecto.

OS PAVIMENTOS E ESCADAS
O chão das salas e quartos poderá ser revestido com qualquer material que o cliente escolha. Escadas e outro tipo de acessos poderão ser construídos em metal e depois revestidos com madeira ou pedra.

AS PORTAS E JANELAS
As portas interiores, tal como as exteriores, serão aplicadas juntamente com as aduelas utilizando os processos convencionais. Os tipos de portas e janelas poderão ser os mais diversos. Tanto as ombreiras como as soleiras poderão ser de pedra, madeira, PVC, ou outros materiais. As janelas e portas de sacada são equipadas com vidro duplo de forma a tornar homogénea a protecção térmica e acústica. Normalmente, são aplicadas janelas e portas de sacada em PVC reforçado com aço podendo ser feita a opção entre portas de abrir ou de correr. Este tipo de material, o policloreto de vinilo (PVC) é obtido a partir do sal e do etileno, um produto derivado do petróleo. A vida útil de uma janela em PVC é o dobro de uma janela de alúminio e o triplo de uma janela de madeira. Além disso, o PVC é um material totalmente reciclável fabricado por grandes marcas preocupadas com o ambiente.

A COZINHA E AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS
Nestas divisões da casa, o gesso cartonado será seguidamente revestido com azulejos cerâmicos cuja forma e padrões poderão ser os mais variados. Os móveis de cozinha, armários, louças, banheira, torneiras, etc., serão colocados segundos os processos normais.

A CLIMATIZAÇÃO
Devido às extraordinárias potencialidades térmicas das construções Termo Steel a utilização de fontes de calor não será sinónimo de elevados custos energéticos. O aquecimento produzido por uma lareira num dado momento será aproveitado por toda a casa com perdas insignificantes. Assim, neste tipo de habitações é fortemente recomendado a instalação de um sistema de ar condicionado ou qualquer outra forma de climatização visto que este tipo de investimento representa um aumento considerável, não nas despesas mensais de energia, mas no conforto dos ocupantes. Aplicar os sistemas de climatização é uma tarefa que se encontra bastante facilitada visto que se poderá utilizar os vãos entre vigas de piso para dispor as tubagens necessárias. Opcionalmente, a casa poderá estar equipada com lareira e recuperador de calor.

A DECORAÇÃO
Como em quaisquer outras construções, a decoração só estará limitada pela imaginação do proprietário, que tem à sua disposição uma enorme quantidade de revestimentos, tintas, mosaicos, tipos de pedra, madeiras, plásticos, etc.

 
 
© Termo Steel. Todos os direitos reservados. Termo Steel é uma marca
Amsteel International.